Mostra fotográfica Pelos Olhos da Águia se inicia nesta quinta, 28, no Salão de Exposição do Espaço Cultural

Imagem: Divulgação

A exposição fotográfica Pelos Olhos da Águia, da piloto de parapente Márcia Finelli, que com o desejo de mostrar um pouco da emoção de “estar nas nuvens”, uniu a sua paixão por voar à fotografia, registrando o mundo lá de cima, terá início nesta quinta-feira, 28, às 19 horas, no Salão de Exposição do Espaço Cultural José Gomes Sobrinho, e contará com 40 fotos que ficarão disponíveis até dia 29 de março. 

As fotos registram, segundo Márcia, a visão de um piloto de parapente, desde as belezas naturais a questões que envolvem a relação homem-natureza, como aguardar e entender qual é o vento perfeito e a condição ideal para desconectar os pés da terra.

“O voo para mim é cheio de emoções, concentração, liberdade. Cada voo é um momento único, a condição nunca é a mesma, isso me fascina, me traz à tona de que nada na vida é controlado ou premeditado e que a natureza sempre nos surpreende”, conta a Piloto.

Márcia ressalta que a fotografia surgiu em sua vida da vontade de mostrar para o público, a beleza de voar como os pássaros, mas, na visão do pássaro/piloto, a necessidade do treino, da reunião com os amigos, a espera por um vento, a conquista de um voo longo, alto. “A ideia é realmente mostrar a vida de um piloto de parapente, sua paixão, seu ritual e as belezas que desfrutamos em contato direto com a natureza”, conclui.

Em, Pelos Olhos da Águia, o público terá acesso a imagens registradas entre os anos de 2016 a 2018, todas no estado do Tocantins, sendo elas, na Praia Graciosa, na rampa na Serra de Lajeado, no Espaço Cultural José Gomes Sobrinho, no Luzimangues, em voos e em Axixá, onde também existe outra rampa no Estado. “Sempre representei o Estado por todo Brasil e a vontade é de mostrar essa maravilha para o mundo”.

Márcia Finelli

Há 16 anos, Márcia Finelli se dedica a prática do parapente, profissionalmente, com participação em competições nacionais e internacionais. Em 2011, Finelli foi a primeira mulher brasileira a fazer uma das mais temidas manobras do voo acrobático de Parapente, o Tumbling (um looping onde o atleta passa por cima da vela).

Mineira de Belo Horizonte, conheceu o esporte em Palmas e desde então dedicou-se totalmente em sua evolução e realizações pessoais, viajando pelo Brasil, conhecendo novas rampas e aperfeiçoando sua técnica, e também participou de treinos e vôos na Nova Zelândia e Chile.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.