Ocorrências na Piracema 2018/2019 resultaram em R$ 24.800 em multas

Imagem: Divulgação

A Piracema chega ao fim nesta quinta-feira, 28, e a Inspetoria Ambiental da Guarda Metropolitana de Palmas (GMP) divulga o balanço das operações realizadas de novembro de 2018 a fevereiro deste ano, período de proibição da pesca, quando os peixes sobem os rios para se reproduzirem.

Durante as operações da Piracema 2018/2019, a Inspetoria Ambiental da GMP conduziu à Delegacia de Polícia 19 pessoas e apreendeu 4.825 metros de rede, 51 varas, molinetes e carretilhas e 48 kg de pescado. Foram lavrados 30 Autos de Infração Contra a Fauna Silvestre, totalizando R$ 24.800 em multas.

Para o gerente da Guarda Ambiental, inspetor Carlos Lima, devido às chuvas e à cheia dos rios houve uma diminuição na prática da pesca, o que de certa forma cooperou com os trabalhos das equipes de fiscalização, que atuaram com blitze nos lagos e regiões no entorno de Palmas, realizando abordagens aquáticas e terrestres.

O gerente lembra ainda que o período da Piracema vai até esta quinta-feira, 28,  conforme a portaria Nº 358 DE 25/10/2018, que regulamenta a Piracema no Estado, expedida pelo Naturatins. Para realizar as fiscalizações, a GMP segue as diretrizes da Lei Federal 9.695/98 e do Decreto Federal 6514/08, que têm por objetivo garantir o ciclo reprodutivo dos peixes, de modo a fortalecer a preservação da natureza e toda a sua biodiversidade.

“Mesmo com o fim da Piracema e pesca liberada a partir do dia 1º de março, o pescador deve ficar atento às normas, pois nossas equipes fazem fiscalização durante o ano todo. Os pescadores devem ter em mãos a carteira de pesca, ou seja, licença, e somente o pescador profissional poderá fazer uso de redes e tarrafas, o pescador amador e o esportivo não”, conclui o inspetor Carlos Lima.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.