Alego aprova estado de calamidade em Goiás até dezembro

Alego aprova estado de calamidade em Goiás até dezembro

Foto: Maykon Cardoso – Alego

A sessão ordinária híbrida realizada nesta quarta-feira, 28, foi marcada pelo debate e aprovação, em votação única, do decreto legislativo que prorroga o estado de calamidade pública em Goiás até 31 de dezembro desse ano. O Plenário também aprovou seis projetos encaminhados pelo Governo, incluindo a indicação de nomes para compor o Conselho Estadual de Educação (CEE), além de dez matérias de autoria parlamentar e uma do Tribunal de Justiça (TJ-GO). Ao todo, 17 proposituras obtiveram o aval dos deputados.

Durante a deliberação da Ordem do Dia, os parlamentares do PSL Delegado Humberto Teófilo e Major Araújo, foram os únicos que declararam voto contrário à prorrogação do estado de calamidade pública e fizeram questionamentos ao chefe do Poder Executivo goiano. Para Teófilo, “é muito fácil governar sobre o manto da calamidade pública”. Ele citou, entre outras coisas, revezes salariais para os servidores públicos e descumprimento de metas fiscais. Major Araújo foi na mesma linha, opinando que o Parlamento não deveria dar ao governador uma “carta branca” para descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). 

Por sua vez, o líder do Governo, deputado Bruno Peixoto (MDB), subiu à tribuna para rebater as colocações dos colegas. “Estamos vivenciando ela [a calamidade]. É uma pandemia. É mundial. Nós ouvimos a ciência, os técnicos, a Universidade Federal. Acompanhamos a Organização Mundial de Saúde (OMS) porque buscamos salvar vidas. Nós trabalhamos com esse intuito”, justificou.

Informações da Agência Assembleia

Comentários do Facebook

Redação