Brasil bate novo recorde e ultrapassa 20 mil mortes por Covid-19

Brasil bate novo recorde e ultrapassa 20 mil mortes por Covid-19

Brasil bateu mais um recorde de mortes nesta quinta-feira (21): com 1.188 mortes em 24h, o país agora passou dos 20 mil óbitos e mais de 310 mil casos. O mundo assiste à escalada desenfreada da pandemia no país, que está muito perto de ultrapassar os EUA em recordes de casos diários e de mortes. Especialistas advertem que o Brasil será em breve o epicentro mundial da doença. Apesar dos alertas, o presidente Jair Bolsonaro ignorou mais uma vez recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e caminhou pelos arredores do Palácio do Alvorada, onde conversou com garis que trabalhavam no local.

Bolsonaro voltou a minimizar os efeitos da Covid-19. “Sobre a questão do vírus, mais da metade vai pegar. É como a chuva, se cair aqui agora, vai molhar. Vamos enfrentar. Tocar o barco, tocar a vida. Porque esse empobrecimento que estão fazendo em quase o Brasil todo vai fazer pobre ficar mais pobre, classe média ficar pobre e é ruim pra todo mundo. Porque sem dinheiro, não tem vídeo, não tem saúde”, afirmou.

A falta de sensibilidade do presidente e a apatia diante da crise que devasta o Brasil também continuam a arruinar a imagem do país no exterior. A renomada publicação ‘Time’ publicou nesta quinta-feira (21) extensa reportagem sobre o drama brasileiro e a atuação desastrosa de Bolsonaro.

Segundo a ‘Time’, mesmo para os padrões de outros populistas de direita que tentaram subestimar a pandemia do Covid-19, o modo como Bolsonaro  desafia a realidade é chocante. “Das favelas de cidades densamente compactadas como o Rio de Janeiro às comunidades indígenas remotas da floresta amazônica, o Brasil emergiu como o novo epicentro global da pandemia, com a maior taxa de transmissão do mundo e um sistema de saúde agora à beira do abismo de colapso”, aponta reportagem publicada nesta quinta-feira.

A reportagem da prestigiada revista observa que, em grande parte causa do mau exemplo dado por Bolsonaro, muitos brasileiros – entre 45% e 60%, dependendo do estado – estão se recusando a cumprir medidas de distanciamento social, segundo dados de rastreamento de telefones celulares.

“Bolsonaro não mostra sinais de que vai mudar”, pontua a ‘Time’. “A crise no Brasil está prestes a se deteriorar ainda mais, deixando epidemiologistas, humanitários e líderes regionais horrorizados”. A revista abre espaço para o prefeito de Manaus (AM) Arthur Virgílio Neto, que responsabilizou Bolsonaro pelas mortes por Covid-19 no país. “Com uma pregação irresponsável, quase delinquente, ele encoraja as pessoas a ir às ruas. Ele levou muitas pessoas à morte”, atacou Virgílio.

Fonte: Partido dos Trabalhadores

Foto: Reprodução

Comentários do Facebook

Wanda Citó