Conhecida família de Taquaruçu recebe ordem de despejo em plena pandemia e amigos fazem petição

Conhecida família de Taquaruçu recebe ordem de despejo em plena pandemia e amigos fazem petição

Na última semana, uma conhecida família de Taquaruçu, conhecida pelas ações culturais na região, recebeu ordem de despejo por parte da prefeitura da capital. Segundo o apurado, a prefeitura solicitou a reintegração de posse do espaço onde está a casa da “família de Duendes de Taquaruçu”, porque vai usar o espaço como extensão do novo Centro de Convenções a ser construído no distrito.

Um link com uma petição solicitando assinaturas contra o mandato de reintegração de posse está circulando nas redes sociais e fala do papel social da família em Taquaruçu,”A casa dos duendes é um lugar que disponibiliza camping gratuito em Taquaruçu, se você quisesse visitar a cidade e curtir os eventos alem de explorar o paraíso que é esse lugar, mas não tivesse dinheiro pra bancar um camping lá, a casa dos duendes era o lugar perfeito pra você ir”.

Publicações nas redes sociais de amigos defendem que a “Família Duende” é humilde e não tem pra onde ir em plena época de pandemia. “Nunca fizeram mal pra ninguém e a casa deles não polui visualmente a cidade, sendo um lugar que se mistura muito facilmente com a natureza em volta”.

Cristian Ribas, advogado que está representando a família, explica que em 2011 houve uma ocupação das áreas ao redor por cerca de 200 famílias, o que fez com a prefeitura entrasse com uma ação de reintegração de posse, “Eles estão num área da União, que supostamente foi cedida para prefeitura para programa do Governo Federal “Minha Casa Minha Vida” e que nunca foram construída casas no local”.

O advogado explica que apesar de ter se passado quase 10 anos da ação, e a ocupação ter se desfeito há muitos anos, atualmente só estão à família Duende, Nilton Nascimento dos Santos, Gleidimar Honório Bitencourt e o filho, “E recentemente, em abril de 2020, já durante a pandemia, a Prefeitura de Palmas fez um novo pedido de concessão de liminar, que foi concedido”.

Ribas também explica que a obra do centro de convenções não é na mesma área da casa deles, mas é bem próximo, do outro lado da rua, então, a remoção teria principalmente finalidades estéticas. “A família está preocupa em ser removida em meio de uma pandemia, a prefeitura não deu nenhuma alternativa. Enquanto advogado, pedi o juiz fizesse uma reconsideração da concessão liminar e entramos com um agravo de instrumento, um recurso para o tribunal de justiça retirar à liminar”, contou ele.

Amigos da família se manifestaram contra a construção do Centro de Convenções, e dizem que o lugar fica muito próximo a nascentes e os rios que podem sofrer muito por menor que seja o menor impacto ambiental, “A prefeitura de Palmas já destruiu várias nascentes e não se importa em investir nos projetos de revitalização das nascentes de lá. Ao invés disso, quer destruir mais um pedaço de natureza com um projeto estúpido e desnecessário.

A redação do portal O Correio Popular solicitou uma posição por parte da prefeitura de Palmas ainda na tarde da última segunda-feira, 18, mas até o momento não obteve resposta.

Comentários do Facebook

Redação