Projeto promove oficina de produção de vasos para jardinagem na Unidade Penal de Arraias

Projeto promove oficina de produção de vasos para jardinagem na Unidade Penal de Arraias

A Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça iniciou nesta quinta-feira, 10, mais um projeto do “Programa Novo Tempo”. Na Cadeia Pública de Arraias os custodiados participam do curso de fabricação de vasos de cimento por meio da oficina permanente de capacitação profissional e de geração de renda, chamada “Inovando Sonhos”. A proposta é ensinar e ampliar a fabricação dos itens junto aos custodiados. Os vasos para plantas são fabricados em tamanhos variados por cinco reeducandos da unidade penal.

Segundo a coordenadora do “Programa Novo Tempo” e agente analista de execução penal, Renata Keli, nos Sistemas Penitenciário e Prisional, a Lei segue diretrizes educativas e produtivas com o objetivo de auxiliar na ressocialização da pessoa privada de liberdade, evitando o ócio e, consequentemente, sua piora ao sair da prisão. Um desses métodos é o trabalho interno e externo exercido pelo preso. “Cabe ressaltar que o trabalho exercido pelo preso é obrigatório na medida da sua aptidão e capacidade”, explicou.

De acordo com o diretor da unidade, Weudes Taveira Araujo, o projeto foi proposto à Gerência de Reintegração Social, Trabalho e Renda do Preso pela própria equipe gestora da Unidade de Arraias. “A priori, pensamos uma forma de gerar uma renda que pudesse atender os apenados e a unidade com um ambiente mais confortável para todos. O projeto é autorizado pelo Poder Judiciário e também pelo Ministério Público do Estado do Tocantins (MPTO), garantindo aos presos parte da renda e também a remição”, disse.

Para o custodiado G.C.C, de 45 anos de idade, participante da oficina, “o projeto nos permite aprender uma nova profissão, assim a gente pode devolver algo para a sociedade, gerando uma renda e podendo ensinar outras pessoas também”, concluiu.

Novas Oficinas

O superintendente de Administração dos Sistemas Penitenciário e Prisional, Orleanes Alves, afirmou que a intenção é ampliar o projeto, levando-o a outras unidades do Sistema Penal do Tocantins. “Temos feito oficinas em diversas áreas em todas as unidades conforme as características e expertises locais. Mas, quanto a técnicas de artefatos de concreto, as próximas acontecerão em Palmas, Guaraí e Araguaína”, finalizou.

Fonte: Seciju-TO

Foto: Divulgação Seciju

Comentários do Facebook

Redação