Rápida intervenção dos bombeiros militares evita afogamento fatal de duas crianças na Praia do Croá

Rápida intervenção dos bombeiros militares evita afogamento fatal de duas crianças na Praia do Croá

Por Luiz Henrique Machado/Governo do Tocantins

A atenção com as crianças na beira da água é uma das principais recomendações dos bombeiros militares para espaços de lazer. Contudo, ainda assim, duas crianças de oito e seis anos quase morreram afogadas na Praia do Croá, em Aliança do Tocantins, na manhã do último domingo, 24. Uma delas já estava submersa, quando os socorristas a avistaram e, imediatamente, iniciaram a ação de salvamento aquático. Os dois meninos foram retirados do rio e entregues ao tio, que era responsável por ambos.

A Praia do Croá fica na zona rural de Aliança, distante cerca de 250km de Palmas, Região Sul do Tocantins. E é uma das mais badaladas do estado, por conta de seus quase 800 metros de extensão, com areia clara, grande e sombreado espaço para acampamento, entre outros.

No final de semana do atendimento aos dois meninos, os bombeiros militares calculam que cerca de 12000 pessoas passaram pelo local, contando a sexta, o sábado e o domingo. Um dos guarda-vidas militares informou que, na área de banho, devia ter pelo menos 50 crianças.

Por uma série de fatores, a Praia do Croá recebe do Corpo de Bombeiros Militar a avaliação de risco com nível 04 (Uma abaixo do nível máximo), ou seja, de maior perigo, o que exige de todos, principalmente com as crianças, maior atenção e adoção de medidas de segurança.

“É preciso manter a atenção 100% nas crianças, estar sempre a distância máxima de um braço, pois caso ela venha a submergir, o adulto irá retirá-la rapidamente, antes que ela aspire água”, aconselha o major Antônio Luiz Soares da Silva, comandante do 1º Batalhão de Bombeiros Militar. “E para as crianças maiores, vestir colete salva-vidas, mas sem distração, cuidando para que elas fiquem com a água no máximo a altura do umbigo”, completou o major.

Soares acrescenta ainda que, “sempre que um grupo se deslocar para um ambiente aquático com crianças, deve haver um adulto, exclusivamente, responsável para cuidar delas, sem se distrair com celulares ou conversações. Em frações de segundos uma criança pode se afogar e perder sua vida”.

Perdendo as forças

Segundo relataram guarda-vidas militares que atendiam a Praia do Croá, os dois garotinhos brincavam dentro do rio, na frente do Posto de Comando do CBMTO, exatamente na região onde existe um trecho de maior profundidade. Foi quando perceberam que os dois meninos começaram a perder as forças e o imediato salvamento aquático foi iniciado, com os bombeiros militares nadando para alcançar o primeiro deles, de oito anos.

Entretanto, a criança com seis anos já estava submersa, quando também foi resgatada em seguida. Os guarda-vidas consideram que o afogamento foi de grau 01, com a vítima aspirando pequena quantidade de água.

Já fora da água, e com os meninos fora de perigo, os bombeiros militares procuraram o responsável pelos garotos, encontrando o tio deles, ao qual foram entregues. O homem não portava documentos e também não sabia dar maiores detalhes sobre as crianças, que já estavam bem e brincavam assim que os guarda-vidas voltaram ao Posto de Comando.

Avaliações de risco

Um completo relatório do Corpo de Bombeiros Militar traz todas as especificações sobre as características das principais praias oficiais do estado. No caso da Praia do Croá, que fica numa das margens do Rio Tocantins, trata-se de um espaço que está sob responsabilidade da Prefeitura de Aliança.

Outras características: o banhista não necessita de fazer travessia de embarcações para ter acesso. O local tem uma estimativa de público em horário de pico em torno de 2.500 banhistas; sua extensão, onde há concentração de público, é de 250 metros; tem baixo fluxo de embarcações, correnteza forte, locais profundos próximos da área de banho, histórico de ataque de arraias, não há rochas na área de banho e tem muitos acampamentos. 

Algumas dessas características representam riscos para os banhistas, porém, a gestão municipal estruturou a praia para reduzir essas ameaças, fazendo as seguintes implementações: cinco guarda-vidas civis, demarcando a área de banho de modo a ter profundidade máximo de 1,2 metros, sinalizando os locais de riscos e orientando os banhistas através de placas e bandeiras, sinalizando a área para embarcações, disponibilizando ambulância de plantão na praia e barraca da saúde.

E o Corpo de Bombeiros Militar disponibilizou dois guarda-vidas militares.

Embora haja os riscos ambientais e comportamentais de afogamentos na Praia do Croá, as diretrizes da Norma Técnica 34, que regulamenta a segurança contra afogamento em áreas balneares, foram cumpridas, tornando-a uma praia mais segura.

Crédito: Divulgação/CBMTO

Comentários do Facebook

Redação